Translate

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Enquanto o sonho durar

Você grita. Você tenta reagir ao veneno que te corrói.
As lágrimas não param e você desiste.
Mais uma vez você está desistindo.
Você se vê preso.
E, meu amado,
Essa é a prisão que você havia sonhado.
Você pode, mas não sabe.
Destranque as portas.
Você pode. Você tem as chaves.
Liberte-se e resgate-me.
Faça-me calmamente dormir com aquela canção de ninar.
...
E depois, só depois, vamos pegar o trem
Que vai para qualquer lugar.
E nada vai mudar a nossa direção.
Eu poderei sentir o vento me tocar.
Conseguirei sentir suas mãos junto as minhas
E serão inseparáveis.
E tudo o que eu quis dizer, direi.
E tudo o que eu sentir, será eterno...
Até que este sonho acabe.



quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Mesmo que Machuque...

Com seu olhar você me traz para longe
Longe de tudo
Longe de todos...
Suas palavras me fazem viajar
Num planeta inabitado, desconhecido.
Uma leveza enorme me domina,
Sinto-me abrir as asas, sei que posso voar!
Mesmo que esteja enganada, 
Mesmo que abra as asas e pule de um penhasco
Confiando na minha suposta capacidade,
Sei que quando estiver caindo, você irá me segurar.
Sim!
Confio em você!
Toda a minha segurança.
Todos os meus sorrisos, eu entrego à você.
Porque eu sei que você será capaz.
Faço de você, o meu Anjo!
Meu guia, meu amigo
E meu refúgio.
Sinto outro sentimento me dominar.
Uma paz.
A tão esperada e tão impossível paz.
Sim... Você é mesmo um Anjo,
O único capaz.
Sim... Eu posso sentir-me te amando.
E esse amor, nada vai destruir.
Nem se minhas asas arrancar,
Nem se o meu corpo agonizar.
Nem se a dor evoluir,
Nem se o meu coração se ferir.



domingo, 15 de dezembro de 2013

Imperador Silêncio

Na mais pura superfície do mais incrível irreal,
Na estrutura reforçada de sonhos incompletos,
Nos medos insignificantes das palavras incertas,
Em tudo está depositado uma gota de sofrimento,
Mas nada dói...
Nada sinto...
Apenas ouço o mais alto grito do grande Imperador, o silêncio.
Silêncio que me atormenta, silêncio que me conforta.
Imperador que me ordena, ser o mais silencioso ser.
Império duradouro, império que me esfaqueia...
Tudo o que eu sinto, tudo que faz morrer.
No interior das emoções,
No planejamento das criações,
Nas profundezas das tristezas,
Não me resta nenhuma certeza.



quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Novembro


Meu silêncio reflete a dor... Dor da maior perda. Perda de mim mesma.
Minha agonia me sufoca com suprema força. É fortalecida pelo interminável Novembro.
Onde se esconde seu fim?
Minha angústia vem da lágrima que não cai... Como sobreviverei?
Por que você foi embora? Por que me decepcionou mais uma vez?
Ah Novembro, onde se esconde o seu fim?
E a minha dor me consome. Por que esse sentimento?
Irei encontrar, Novembro o seu fim, ou irei encontrar o meu fim?
Aquele Adeus... Por que não me dissestes?
Mais um dia, mais uma dor.
Ah Novembro, onde se esconde o seu fim?


quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Doce Mentira

Lembro-me daquele sorriso. Daquelas palavras.
Ah! Aquelas palavras... 
Todas aquelas doces palavras que me faziam voar além das nuvens.
E de repente, você perdeu as palavras, você não sabia mais, não queria mais...
Mesmo sem conseguir, você sorria, mas o seu sorriso não era mais doce.
Possuía uma gosto amargo e não conseguia engolir... Porque você está mentindo pra mim?
Quero voltar!
Voltar para os dias em que essa dor não existia em mim.
Quero rever tudo aquilo.
Perceber que tudo era uma mentira!
Agora que tudo acabou, eu só quero o seu abraço, mesmo que me fure com os espinhos que há em seu coração.
Agora quero ser feliz com aquelas doces mentiras.
Quero aquele por do sol que trazia o brilho dos meus olhos.
Quero a mentira que me matou!
Eu preciso que você diga novamente que me ama, que esse amor nunca vai acabar.
Cada gota de lágrima que cai do meu rosto, é um segundo de um filme interminável que passa na minha mente. E por que não posso pausar?
Por que não posso?
Quero morrer!
Não aguento mais essa dor!
Então volte! Encontre  aquelas doces mentiras e me diga novamente a mais bela de todas elas.
Não diga adeus, porque eu não posso suportar.
Meus sentimentos ainda estão vivos!
Eu estou bem, mas eu sei que isso é uma mentira!
Eu te amo!



quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Final

Meu desejo de protegê-la é maior que minha vontade de viver...
Estão me matando! Corra! O mais rápido que puder. Salve-se!
Porque no final, nada restará.
Tudo será destruído.
Estão me matando! Onde está sua vida agora?
Sonhos, sorrisos... Corra!
Vá! Ficarei aqui e não deixarei que te peguem. Deixe-me ser seu Anjo.
O Anjo que irá te defender de toda a dor!
Estão me matando e eu não me importo de morrer, se for para te ver sorrindo.
Estão me matando... E tudo o que posso fazer é deixar-me morrer...
Eu te amo! E você não pode entender esse sentimento que não se explica.
Sorria!
Deixe-me partir com a mais encantadora visão desse mundo.
Eu te amo!
Não fui capaz de salvar o nosso futuro...
Minha vida inteira, dediquei a protegê-la... E não fui capaz!
Desculpe... Mataram-me!
Sei que você é frágil, mas corra agora! O mais rápido que puder! 
Não, não chore... Sorria!
Shh... Eu sei o quanto dói, mas você tem que correr porque...
Estão tentando te matar!



quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Dama da Meia-Noite

O mundo a condena por ter a estranha mania de trazer a felicidade.
Faz renascer a última a morrer.
Capaz de fazer o que o destino não se atreve a tentar.
É uma relíquia.
Uma riqueza das estrelas.
Traz o brilho da escuridão em seu delicado e profundo cheiro.
Seu toque tem a mistura inconfundível de paz e medo.
Suas emoções estão expostas e ocultas, trancafiadas.
E a visão que tem desse mundo é tão bela quanto a de uma rosa murcha.
Inspira confiança. Respira responsabilidade.
Forte e delicada. Suave e intensa.
De alma pura, apesar da corrupção que atinge seus olhos.
Os anos cansativos e longos trouxeram experiência e imensurável maturidade.
Dava a entender pela fala, que era anciã, mas pelo jeito inocente e sincero de agir, que era uma doce criança.
Seus olhos tão castanhos e tão convincentes hipnotizam qualquer um...
E eu estou eternamente encantada por ela...
A Dama da Meia-Noite.




quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Boa Noite



Distante vejo o seu olhar como um profundo desejo.
Desejo da morte,
Desejo da vida...
A vida infinita a dor permanente.
A permanente dor da noite dos desesperados
Desesperados com lágrimas a escorrer a todo tempo...
Tempo que passa olhando o luar
Luar que lhe traz lembranças, saudades
Saudades daquela doce voz a lhe falar
Falar coisas que lhe fizessem continuar, prosseguir
Prosseguir naquele pesadelo
Pesadelo onde o monstro era ele mesmo.
Mesmo a vendo, sente saudade.
Saudade do vocal singelo a lhe desejar a mais bela e mais maravilhosa de todas
A mais Boa Noite...
Seu olhar como um profundo desejo se tornou a mais irreal realidade
E ela está a lhe falar:
- A mais bela lhe aguarda...
Boa Noite meu Anjo, Boa noite!  



sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Noite dos Anjos


A queda da noite, permite ver
Toda essa desgraça, essa desordem. Anjos que choram, almas que se perdem...
Sonhos devorados, futuros despedaçados.
Caem na tentativa de voar novamente. Suas asas foram arrancadas e seu mundo destruído.
Seus medos os aprisionam e permanecem chorando, pelo resto de sua eternidade.
O renascimento do Sol, em mais uma alvorada de dor e tormento.
Lágrimas eternas de amantes da ilusão, amargam em suas bocas e ardem em suas almas.
Não perdem as esperanças. Continuam clamando por uma salvação.
A salvação que demora a chegar.
A cegueira predomina em seus caminhos e se torna impossível ver o sinal
De onde está a sua presa ou a sua guia.
Suas asas são levadas e consigo vão a sua fé.
Como uma alma perdida.




Inspirada na música "Angels Cry", da banda Angra


sábado, 28 de setembro de 2013

Fardo



Derramei lágrimas por algo e por alguém. Lágrimas que hoje me fazem muita falta. Essas lágrimas me fizeram acordar da minha fértil imaginação. Fizeram-me abrir os olhos e perceber que por mais que eu tente, nunca serei livre para definir o meu futuro! Meu destino está nas mãos da sorte. Eu acostumei a viver tudo o que outras pessoas vivem. Ter amigos, ter alguém para conversar, olhar as estrelas quando me sentir sozinha. Tudo isso só me fez refletir no quanto somos presos à uma rotina que esmagam nossos sonhos. Sei que alguns, assim como eu, querem se livrar, mudar seu jeito de viver. Tentar não ter um céu estrelado, um dia ensolarado, um amigo... Porque isso é torturante aos olhos de quem tem a rotina solitária. Dói e lágrimas voltam a atuar como atrizes principais no grande espetáculo: “O Grande Show da Vida”, que nada mais é que uma belo e bem elaborado ilusionismo!
Carrego o Dom ou a Desgraça de derramar lágrimas pelo mesmo motivo trocentas vezes. E em todas as vezes é como se fosse a primeira. Devasta minha alma, apunhala meu coração e leva embora toda a minha vontade de continuar e ver tudo isso novamente.
Derramar lágrimas é tudo culpa de alguém.
Às vezes é bom não ter ninguém, porque não se derrama lágrimas. Mas às vezes nos enganamos, às vezes precisamos de alguém... E quando esse alguém não aparece, o fardo se torna ainda mais pesado...



sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Um Sonho

       Tudo era preto e branco no seu mundo colorido. Nada possuía gosto, nem cheiro, e, nada podia ser ouvido, a não ser gritos de desespero. Gritos que eram corrompidos por máscaras sorridentes...
Pessoas loucas, que escondiam sua dor e se achavam normais o suficiente para chamá-lo de maluco, pelo simples fato de ele não pular nos carnavais, não correr atrás de uma bola e detestar multidões. Era taxado de louco, por ser um poeta calado... Sem sair do seu quarto, conheceu o mundo. Viveu em trocentas cidades, e se mudava cada vez que abria um novo livro. Era orgulhoso por ter voado com Harry Potter numa vassoura. Ajudou o Goku a fazer a Genki Dama. Gostaria de transformar o mundo como o Kira, mas não queria ser Rei, pois era muito humilde. Era calado, porém, talentoso com as palavras. Tocava um instrumento e caprichava com cálculos. Tinha olhos convidativos, cativantes... E era doce, da mesma maneira como me chamava...
   Dominava muito bem a língua inglesa, também a da amizade. Era sorridente e sério. E dividia uns 85% do seu dia comigo, e, enquanto ele me gostava, eu também o gostava. E nós éramos amigos, hoje somos bem mais que isso.
Ele era, é e será um sonho. Um Sonho Contínuo...



segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Por que tão longe?

   Batem na mesma sintonia, uma sincronização jamais vista pelos meus olhos. Está quebrado! Bate rápido e sem descanso. Todo o calor que unia seus cacos, foi levado por uma devastadora solidão. Meu inverno se tornou tão longo e intenso, estando longe do meu Sol que tanto me aquece! Já passou da hora do meu mundo fazer sua rotação. Mas ele congelou no tempo e eu não vejo mais meu lindo Sol. O calor foi embora e, por que para tão longe?
Volte!
   Envolva-me em seus calorosos braços e mande embora essa fria agonia! Príncipe de Fogo, estou aguardando seu retorno. Só não demore! Assim como meu mundo, cada dia mais meu coração congela... Seus cacos não conseguem se regenerar sozinhos.
Onde está você? Meu coração luta bravamente, todos os dias, contra o gelo que quer lhe dominar. Não permitirei que o nosso coração, seja devorado.
   Quanto mais longe você for, mais vida leva de mim. Tudo está desabando diante dos meus olhos... E nada eu posso fazer, pois à essa altura, sou somente um fraco espírito, faminto por um pouco de vida!
   Príncipe de Fogo, volte e me alimente! Dê-me a vida e a felicidade que só você pode me trazer!




quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Cão Guia

   Antes do Adeus, estava enfartando, as pernas bambas, a boca seca e havia chegado a hora, tudo havia acabado, nada mais tinha restado, se não as doces lembranças que eram tão amargas aos olhos de quem sofria. Sofria, sofria e sorria, e, nada mais importava, nada mais enxergava, se não a morte de seus melhores dias e com eles, ela também ia, vazia. Seguia cega, sozinha, naquele trajeto infinito, onde seu cão guia era seu coração partido. Que azar o seu, o pobre cão não era treinado, fazia-a topar em pedras, cair em buracos e pisar em espinhos. Mas ela não ligava, tinha determinação e força de vontade, tinha certeza de que chegaria ao final da caminhada, que a seus lindos olhos cegos, era curta. Pobre coitada, não sabia que seu cão tinha errado o caminho, sabia apenas que ele seguia como ela mandava... Depois de muito cair e se machucar, sentiu que já havia chegado no fim da sua caminhada. Sorriu inocente ao saber que ele havia voltado, e poderia novamente senti-lo. Sim era ele, era o amor, o seu amor! Pôde então, enxergar mais uma vez... E quando enxergou, chorou com aqueles olhos esverdeados e solitários. Viu novamente seu amor indo embora... Sofreu, sofreu e morreu. Mais uma vez morreu... Xingou e culpou infinitamente seu estúpido cão guia, que agora, já está aposentado eternamente.


terça-feira, 25 de junho de 2013

Fênix

Em meu interior, você se torna cinzas, meu sangue é puro ódio, minha vida é puro nada. Aguardando o renascimento da minha Fênix.
Em que me tornei? Que monstro sou?
Não me reconheço no reflexo do coração quebrado... Que coração é esse? Por que se quebrou?
Em mim, vejo o céu escurecendo, o dia virando noite. E a Fênix voa livremente nas minhas trevas, iluminando meus medos, queimando minhas esperanças. Por que ela sempre retorna? Volte às cinzas! Eu quero ver o sol novamente... Fênix, alimente-me do seu fogo! Reviva minha ilusão. Dê-me asas flamejantes, para eu ser livre e vagar em teus pensamentos, como vagas no meu... Oh, minha incompreensível Fênix!