Translate

terça-feira, 25 de junho de 2013

Fênix

Em meu interior, você se torna cinzas, meu sangue é puro ódio, minha vida é puro nada. Aguardando o renascimento da minha Fênix.
Em que me tornei? Que monstro sou?
Não me reconheço no reflexo do coração quebrado... Que coração é esse? Por que se quebrou?
Em mim, vejo o céu escurecendo, o dia virando noite. E a Fênix voa livremente nas minhas trevas, iluminando meus medos, queimando minhas esperanças. Por que ela sempre retorna? Volte às cinzas! Eu quero ver o sol novamente... Fênix, alimente-me do seu fogo! Reviva minha ilusão. Dê-me asas flamejantes, para eu ser livre e vagar em teus pensamentos, como vagas no meu... Oh, minha incompreensível Fênix!




sexta-feira, 14 de junho de 2013

Lágrimas e Reticências


Toda essa realidade que eu vejo
E tudo o que eu penso à respeito
É tão distante do meu desejo
Que me faz sentir um ódio crescer dentro do peito

Quanta ironia há em suas palavras
Que diz que o vento leva,
Mas a saudade vem e trás

Iludida, acha que é livre
E em sua amada liberdade
Não consegue encontrar a própria paz

Linda menina, não me impeça de sonhar
Tudo o que eu disse, foi pensando em você
Linda menina, por favor, não chore
Eu estou aqui e não vou te esquecer

Toda sua vida se baseia em duas coisas:
Lágrimas e Reticências
Lágrimas que se tornam gélidas com a chegada de brisas
Reticências que na vida, se tornam essências

Mas, por favor, Linda menina, não chore
Tudo o que eu fiz, foi pensando em você
Linda menina, não me impeça de sonhar
Eu estou aqui, e nunca vou te esquecer


quinta-feira, 6 de junho de 2013

A Assassina do Imortal

   Olhares se perderam no tempo, e junto com eles, também se foram palavras e promessas, sonhos e planos... Tudo foi em vão? Estava apenas sonhando ou será que minha realidade me abandonou e meu sonho está acontecendo agora?
   Tudo é tão complexo. Chega a me causar medo. Medo de perder o que nunca tive, de ganhar o que nunca mereci. Medo de entrar nesse jogo em que muitos ganham e muitos perdem... Sinto medo de mim, do meu interior. Sinto-me ameaçada pela minha mente. Sei que ela é minha maior inimiga, pois envolve tudo o que eu sou, fui e serei. Ela sabe todos os meus pontos fracos e os usa sem que eu nem perceba. Ela é responsável por cada palavra que sai da minha boca, e por isso, digo tantas palavras que não queria dizer. É responsável por cada sentimento que brota dentro de mim, e isso é o que eu mais odeio nela. Porque sinto o que eu não quero sentir, e dói... A sensação de não poder controlar nossos próprios sentimentos nos torna tão limitados. Mostra que não temos uma mente, e sim, o contrário... Aos poucos, aprendemos a controlar nossas emoções, e acabamos nos tornando como nossa própria mente: "Controladores"! Prendemos algo que deve ser livre. Trancafiamos o que mais nos completa em uma sela suja, muitas vezes em prisão perpétua. Assassinamos nós mesmos, interiormente, mas não completamente. Matamos apenas uma parte de nós, os sentimentos que nos completam. Há um que dizem ser imortal e que só as mentes mais poderosas e cruéis podem matá-lo. Agora resta saber...

"O seu imortal amor está vivo, ou você é uma mente fria e já o matou?"