Translate

sábado, 4 de julho de 2015

Que vida é essa que estou vivendo?
Quando foi que eu deixei de ser eu mesma?
Por que não tenho mais tempo de ver o Sol ser engolido escuridão da noite?

Meus dias se tornaram tão vazios e sem cor...
A horrível sensação de não ver, não sentir, não falar...
E todos aquelas vozes me chamando desesperadas, despreparadas.

É tudo tão doloroso.
Não querer ser dependente e, ainda assim, sempre depender de outrem.

Amar a vida ao sentir um toque...
Fazer sorrisos se abrirem ao recitar um verso de sentimentos...
Utopia...

Quando isso vai acabar? Como vai acabar?
Acho que prefiro nem saber.